Algumas dicas sobre o mercado inglês

Todos nós, autores e autoras independentes, gostaríamos de poder entrar no mercado tão apetecível como o inglês. Aqui estão algumas dicas sobre o mercado inglês.

O desejo desses autores e autores em alcançar o mercado editorial em língua inglesa se dá não só pelo poder de compra provenientes de países como os Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, etc., mas também porque há muitos leitores, nativos em outras línguas, que leem nesse idioma.

Aqui estão algumas dicas.

Como entrar no mercado?

Há duas opções. Na primeira, você paga a um tradutor, ficando com os direitos de autor, embora seja caro.

A segunda, e mais econômica, pode encontrar um tradutor na Babelcube, tema sobre o qual já falamos várias vezes.

Divulgação para mercado inglês

Quando você tiver o livro traduzido, uma boa capa, um título e sinopses chamativos, então, está na hora de fazer um processo essencial, embora no meu caso seja particularmente menos estimulante que escrever, que é a divulgação do seu trabalho.

No mercado inglês, o número de blogs, youtubers e diretórios que ajudam ao escritor independente é imenso.

Deixo aqui algumas páginas que podem ajudar você a dar os primeiros passos no mercado:

The Book Blog List: http://bookbloggerlist.com/

Penso que este é o maior diretório de bloggers em língua inglesa. Além disso, está separado por gêneros o que nos facilita a vida. Alguns fazem resenhas, outros são esquemas para enganar, mas a maioria gosta de ajudar a divulgar, sobretudo nos dias em que há promoções.

The Indie Book Reviewers List: http://www.theindieview.com/indie-reviewers/

Esta é uma página que apoia e, a priori, faz resenhas para autores independentes. Porém, na realidade, há muitos escritores independentes que promovem mais os seus livros do que resenham. No entanto, vocês podem encontrar muita gente disposta a ajudar.

Goodreads: https://www.goodreads.com/

É a maior rede social de literatura. Está direcionado, essencialmente, para o mercado anglo-saxônico. É importante fazer “amigos”, criar uma página de autor e entrar e participar de fóruns. Prometo fazer um post só a falar sobre este site.

Clientes da Amazon

Eu sou dos malucos que me dei ao trabalho de ver o perfil dos 10 mil “reviewers” mais importantes da Amazon.com.

A ideia é pedir-lhes que façam uma resenha em troca de um livro. Neste caso, aconselho a não perder o tempo, é um esforço em vão.

Dos 10 mil, apenas uns 3 mil deixam o e-mail no perfil. Desses, só mil fazem resenhas a livros e apenas uns 300 ao gênero que escrevemos. No meu caso, consegui poucas resenhas e algumas até negativas.

Amazon Marketing Services (AMS)

Se queremos que o nosso livro não caia no esquecimento do imenso oceano de livros que há na Amazon.com, a AMS é a ferramenta ideal.

Funciona como Google AdWords. Ou seja, você pode pagar e colocar muitas palavras-chave para que o seu livro apareça nos primeiros lugares das buscas dos clientes no site da Amazon.

Mas, infelizmente, só funciona na Amazon dos EUA e Reino Unido.

Conclusão

Lutar por um lugar ao Sol num mercado tão competitivo é muito difícil, ainda mais se você tem um orçamento reduzido.

O meu conselho seria: apostar num primeiro livro veiculado pela Babelcube e se gostar da forma como está traduzido. No segundo livro, chegue a um acordo com o tradutor do primeiro (sem a intervenção da Babelcube). Tudo isso porque para ganhar alguma visibilidade é necessário apostar na AMS e em audio-livros e isso só pode acontecer se você tiver os direitos de autor, ou seja, sem a Babelcube.

Depois é essencial o de sempre: boa capa, título chamativo e muitas horas de divulgação.

Sobre o autor:

Gonçalo J. Nunes Dias nasceu em Lisboa em 1977 e é licenciado em Ciências do Ambiente pelo Instituto Politécnico de Castelo Branco. Atualmente vive no País Basco. O Bom Ditador foi seu primeiro romance. Saiba mais sobre ele visitando www.amazon.com/-/e/B01A77NFNO

Resumo
Algumas dicas sobre o mercado inglês.
Título do Artigo
Algumas dicas sobre o mercado inglês.
Descrição
Todos nós, autores e autoras independentes, gostaríamos de poder entrar no mercado tão apetecível como o inglês. Não só pelo poder de compra provenientes de países como Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, etc., mas também porque há muitos leitores, nativos em outras línguas, que leem nesse idioma. Então, aqui estão algumas dicas sobre o mercado inglês.
Autor
Nome do editor
Como Publicar eBooks na Amazon

Comente